terça-feira, 22 de abril de 2014

Páscoa em São Miguel do Gostoso foi excepcional, mas a falta de cartões de crédito prejudica turismo



Por Emanuel Neri
O feriado da Páscoa em São Miguel do Gostoso (foto à esquerda) foi excepcional. Pousadas, bares, restaurantes e comércio – em especial supermercados – funcionaram a todo vapor. Há informações de que havia mais gente no feriado da Páscoa do que no Carnaval. Mas o turismo da cidade continua falho em um ponto, fundamental para quem visita a cidade.
É que, apesar dos sinais evidentes da consolidação do destino turístico de São Miguel do Gostoso, muitos dos bares e restaurantes da cidade continuam sem operar com cartões de crédito e de débito. E isso causa enorme transtorno para os turistas desavisados, que chegam aqui sem saber desta restrição.
A falta de cartões de crédito e de débito em boa parte dos restaurantes e bares continua sendo o ponto falho do turismo de São Miguel do Gostoso. Nesta Páscoa, muitas pessoas procuraram as pousadas para reclamar da falta de opção de poder pagar suas despesas com cartões bancários.
Uma cidade que quer consolidar seu destino turístico não pode ir prá frente sem consertar esta enorme falha. Hoje em dia até se criou a expressão “dinheiro de plástico” para definir o uso de cartões de crédio e de debito para o pagamento de despesas. Esta é uma realidade em todo o mundo.
Mas em São Miguel do Gostoso é diferente. A maioria das pousadas e supermercados já opera com cartões. Mas há grande quantidade de bares e restaurantes que não aceitam esta modalidade de pagamento. Talvez a metade dos restaurantes e bares da cidade ainda resista ao uso de cartões bancários.
E isso causa sérios problemas para o turista que visita a cidade – e estraga, poe consequência, a boa imagem do turismo de São Miguel do Gostoso.
Veja como isso é um dado complicador em uma cidade como São Miguel do Gostoso. A cidade não tem agências bancárias – há apenas um posto do Bradesco onde só os clientes deste banco podem fazer saques. O posto do Banco do Brasil foi explodido por bandidos há meses e ainda não foi consertado.
Este problema afeta enormemente a vida do turista que vem a São Miguel do Gostoso e que tem que pagar suas despesas com dinheiro em espécie. A questão segurança também pesa. Hoje ninguém quer mais andar com muito dinheiro no bolso  por questões de segurança – a opção é o uso de cartões.
Esta é uma questão prá lá de contraditória. Os comerciantes de bares e restaurantes querem faturar com o turismo da cidade, mas se negam a facilitar a vida do turista ao não aceitarem em seus estabelecimentos cartões bancários. Qual o motivo da resistência para uma decisão que colabora com o turismo?
É claro que, em geral, sem os cartões de crédito e de débito estabelecimentos se omitem do pagamento de seus impostos. Cartões são um medidor importante para se saber o faturamento de estabelecimentos comerciais. Sem cartões, não há como o governo controlar o volume da receita gerado nesta atividade.
É fato que há muitos bares e restaurantes em São Miguel do Gostoso que adotam cartões. Mas pelo menos metade de outros estabelecimentos similares da cidade não adota esta prática. Bem que a Receita Federal poderia fazer uma fiscalização para ver se há sonegação de impostos.
É importante também que a Prefeitura de São Miguel do Gostoso e a AEGostoso – a associação de empreededores da cidade – passam a ver esta questão com mais cuidado. A falta de cartões de crédito nestes estabelecimentos causa um forte impacto negativo na imagem do turismo local.
O noBalacobaco não vai citar aqui quais os estabelecimentos comerciais –principalmente bares e restaurantes – que, espertamente ou por omissão, se recusam a operar com cartões. Mas este espaço está aberto para quem quiser reclamar contra aqueles que não querem colaborar com o turismo da cidade.
O fato é que chegou a hora de São Miguel do Gostoso encarar sua principal atividade econômica, que é o turismo, com mais responsabilidade. O turismo só vai prá frente com profissionalismo – e se criar condições para que o turista se sinta confortável na cidade. Os maus comerciantes não ajudam nesta tarefa.

sábado, 19 de abril de 2014

Sábado da Aleluia em São Miguel do Gostoso tinha tradição hoje condenável, como a de "malhar" Judas



Por Emanuel Neri
Porque hoje é sábado da Aleiluia, a tradição em São Miguel do Gostoso era a "malhação" de Judas e o roubo de galinhas para as festas ou o almoço no domingo de Páscoa. Mas isso é coisa do passado e, pelo menos no caso da malhação de Judas, tem conotação hoje preconceituosa.
A "malhação" de Judas é tradição antiga em São Miguel do Gostoso - como no Nordeste e em outras partes do país. São bonecos de pano em tamanho natural que são levados às ruas, geralmente arrastados por crianças, e são estraçalhado a pauladas por outras pessoas. Trata-se de uma referência, pejorativa, ao povo judeu.
Na verdade, a origem de tudo se deve a Judas Iscariotes, um dos 12 apóstolos de Jesus Cristo e seu traidor.  Foi ele quem, segundo o Evangelho, entregou Jesus aos soldados romanos, por 30 moedas de prata, para ser crucificado. Mas nesta história quem paga o pato é o povo judeu.  Judas, assim como Jesus, era de origem judaica. Hoje há controvérsias sobre o fato de Judas ser ou não traidor.
Mas o fato é como se os judeus fossem responsáveis pela morte de Jesus e que por isso merecem ser “malhados” – esta é a origem da tradição. Hoje esta atitude é absolutamente condenável por se tratar de um proconceito – e uma acusação injusta -  contra os judeus. Apesar da tradição, deve ser evitado.
O roubo de galinhas também está em desuso. Se alguém entrar num quintal para roubar galinhas, corre o risco  de ser tratado como ladrão e ter que justificar seus atos perantee à Justiça. Mas aqui e acolá ainda se houve falar de roubos de galinhas no sábado de Aleluia.
Tradições à parte, o fato é que São Miguel do Gostoso vive um de suas melhores páscoas. Nunca se viu tanta gente na cidade neste mesmo período, em anos anteriores. Todas as pousadas estão lotadas. O movimento em bares, restaurantes e no comércio em geral também é grande.
O fato é que São Miguel do Gostoso se consolida cada vez mais como um destino turístico da região. As pousadas estão recebendo gente do Sudeste, principalmente de São Paulo, mas a maioria dos turistas vem mesmo da região – de Natal, Recife, João Pessoa e Fortaleza.
Trânsito na praia
Um ponto importante merece ser destacado neste feriado prolongado da Páscoa – que emenda com o feriado do dia 21 de abril, na segunda-feira. Diminuiu muito o trânsito de veículos nas praias urbanas de São Miguel do Gostoso. A prefeitura cumpriu sua tarefa e fechou acessos às praias.
Com isso, carros e motos que costumam trafegar nas praias ficam sem opção de sair e voltar à cidade. Isso é muito positivo para a população da cidade – e para o turismo. Ninguém gosta de estar na praia em meio de um trânsito infernal, correndo o risco de ser atropleado a qualquer momento.
Ainda se vê um ou outro carro e moto circulando nas praias. Mas é fato que este trânsito diminuiu de forma significativa. Pontos para a prefeita Fátima Dantas, que prometeu acabar com o trânsito na praia e está cumprindo sua promessa. Precisa agora melhorar o trânsito urbano.
A cidade ainda tem acúmulos de carros em suas ruas principais. É imporante que a prefeitura estabeleça limtes de ruas em que estacionamentos de carros seja permitido. A avenida dos Arrecifes – entre a igreja católica e o supermercado Vital – fica intransitável. Precisa mudar.
Mas as mudanças são assim mesmo. Feitas em seu tempo. Na medida em que a cidade cresce, vão sendo estabelecidas regras para que a população respeite limites de urbanidade. E aí se inclui o fim do trânsito na praia e a criação de regras de mais  controle de carros estacionados na cidade.
Que bom. São Miguel do Gostoso começa a dar sinais de que quer viver com regras de urbanidade – e civilidade. Isso permite que população e cidade convivam de forma mais equilibrada, sem que uma interfira no direito de uma vida melhor e mais saudável para toda a sociedade.

domingo, 13 de abril de 2014

Professor faz provocação contra elite conservadora e cita funkeira Walesca Popozuda em prova de filosofia



Por Emanuel Neri
É bom mesmo que alguém tumultue o pensamento de setores atrasados e conservadores do país. Na última semana, a atitude de um professor de uma escola pública de Taguatinga, cidade satélite de Brasília, causou profunda irritação na midia e na elite mais "direitosa" do Brasil.
A provocação partiu do professor Antonio Kubitschek, que ensina filosofia no Cento de Ensino Médio 3, de Taguatinha. Numa prova para testar o conhecimento dos alunos em filosofia, o professor inseriu questão que citava a funkeira Walesca Popozuda (foto) como “pensadora contemporânea”.
A questão – em uma prova que continha dez perguntas – queria saber o seguinte:
“Segundo a grande pensadora contemporânea Walesca Popozuda, se bater de frente...”
a)É só tiro, porrada e bomba.
b)É só beijinho no ombro.
c)É recalque.
d)É vida longa
A questão incluída na prova da escola de Taguatinha causou profunda reação. Parte da imprensa e das redes sociais, em especial blogueiros de direita, caíram de pau na ousadia do professor. E o tiroteio acabou sendo direcionado para o ensino do país, para a escola pública e sobrou até para o PT e o governo Dilma.
“Morreu, foi para o ralo. Virou lixo”, escreveu um blogueiro sobre a escola pública e o sistema de educação do país, segundo relato da jornalista Cynara Menezes, do blog Socialista Morena (veja abaixo).
Mas acontece que a questão colocada na prova pelo professor de Taguatinga foi exatamente uma “pegadinha” para chamar a atenção da mídia e provocar reações dos conservadores. O professor havia feito uma exposição de fotografia de seus alunos, convocou a imprensa local, mas ninguém apareceu.
Foi aí que o professor resolveu lançar mão da funkeira para chamar a atenção da mídia e balançar a ira da elite conservadora do país. A reação veio forte e imediata. Além do tiroteio na mídia, o professor foi convocado para explicar sua "estupidez" em rádios e TVs – e até Walesca entrou na roda.
O professor e Walesca passaram dias dando entrevistas. Para surpresa de muitos, professor e funkeira se saíram muito bem. O professor disse que seus alunos e a escola receberam bem sua provocação. Já Walesca mostrou uma incrível desenvoltura e fina ironia nas entrevistas.
“E se o professor quis ser irônico com o sucesso das músicas de hoje em dia?”, perguntou Walesca. E foi irônica diante de perguntas que queriam saber se ela se considerava uma “pensadora”. “Vou ali ler um Machado de Assis e ir treinando para quem sabe, um dia, ser uma pensadora de elite”.
Walesca é autora de uma música que faz muito sucesso atualmente – “É só beijinho no ombro”.
No meio do bombardeio, o professor também foi ao ataque. “Esta provocação foi feita exatamente para eles (referia-se à elite e a quem o criticou) porque, no fundo, eles têm preconceito contra a escola pública, que é tão mal considerada por eles como a Walesca e o funk”, declarou.
A polêmica rendeu notícias e reações raivosas durante toda a semana. Mas vale a pena ver também o lado da imprensa, como o da jornalista Cynara Menezes, que também  é da revista Carta Capital, que foi atrás do professor com outro olhar – sem o conservadorismo de outros colegas jornalistas.
A entrevista que Cynara fez com o professor Kubitschek, uma pérola do jornalismo isento de preconceitos, está no link abaixo. No mesmo texto, veja também reação  de um aluno que defende o professor, entende o contexto da questão sobre o funk e critica os que viram a questão com olhar preconceituoso.
Em tempo. A resposta certa para a questão colocada na prova era a letra "a": “É só tiro, porrada e bomba” – frase que consta de uma dos sucessos musicais da Walesca.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Polícia de São Miguel do Gostoso prende homem que é acusado de praticar roubos e assaltos na cidade

A polícia de São Miguel do Gostoso acaba de informar que um dos homens mais procurados pela polícia da região foi preso no início da tarde desta sexta-feira (11/4). Trata-se de Valdene Amaral, que a polícia acusa de ser responsável por uma série de roubos e assaltos na cidade.
A prisão, em operação conjunta das polícias de  São Miguel do Gostoso e de Touros, ocorreu próxima à entrada de Cajueiro (distrito de Touros). A polícia descobriu que Valdene se dirigia de Natal para São Miguel do Gostoso em um carro, tipo "lotação", que faz transporte de passageiros entre as duas cidades.
Participaram da operação tanto a Polícia Militar como a Polícia Civil. A polícia estava rastreando todos os passos de Valdene há mais de dois meses, quando o juiz da Comarca de Touros expediu o mandado de prisão contra ele sob a acusação de que ele participara de roubos e assaltos na cidade.
Na manhã desta sexta-feira, um policial que estava em Natal reconheceu Valdene e viu quando ele estava embarcando para São Miguel do Gostoso. O policial anotou as placas e a marca do veículo em que ele viajava e avisou à polícia de São Miguel do Gostoso.
O agente da Polícia Civil de São Miguel do Gostoso, Val Coutinho, liderou a operação. Dois soldados do destacamento da PM da cidade - Dionísio e Gustavo - foram deslocados em uma viatura policial para interceptar o carro, antes que ele chegasse ao seu destino.
A polícia montou um bloqueio na RN-225, que liga a BR-101 a São Miguel do Gostoso. Na operação, vários carros foram parados para averiguações. Até que o carro em que Valdene viajava foi parado e ele foi imediatamente identificado, algemado e preso. Não houve resistência à ordem de prisão.
Após a prisão, a polícia cumpriu procedimentos legais na Delegacia de Touros. A informação é a de que Valdene seria transferido em seguida para uma presídio em Natal. Valdene já havia se envolvido em um tiroteio no qual um um outro assaltante foi morto.
Por causa deste crime, Valdene foi preso e passou mais de um ano na prisão. Ao voltar a São Miguel do Gostoso, segundo a polícia, ele reiniciou uma série de roubos e assaltos na cidade. Vítimas destas ocorrências prestaram queixas na polícia e a Justiça expediu o mandado de prisão contra ele.
A polícia informou que já havia feito outros cercos para capturar Valdene. Durante vários dias, policiais, usando trajes civis, ficavam próximo à residência de sua mãe para saber a hora em que ele chegava em casa. Também houve buscas em um distrito próximo, conhecido por Baixa do Quinquim, onde havia informações de que ele estava escondido.
Com a prisão de Valdene, segundo a polícia, deve diminuir o número de ocorrências criminais na cidade. A polícia acredita que ele comandava um grupo de outros assaltantes. Agora vai tentar obter informações para identificar o grupo e também pedir mandado de prisão de seus ingegrantes.
Antes da prisão de Valdene, havia muita reclamação da população de São Miguel do Gostoso com a dificuldade que a polícia estava enfrentando em prendê-lo. Mas a polícia sempre informou que estava na busca do suposto assaltante e que, mais cedo ou mais tarde, ia conseguir prendê-lo.
A polícia informou no início da noite desta sexta-feira que Valdene foi levado para um presídio na cidade de Nova Cruz.



 

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Dilma demonstra fragilidade, mas Lula tem prestígio para eleger o candiato que ele apoiar para presidente



Por Emanuel Neri
Ele é o cara. Luís Inácio Lula da Silva, que governou o Brasil entre 2003 e 2010, é ainda o político de maior prestígio no país. Pesquisa recente do Datafolha indica que 37% dos brasileiros votam em candidato/a apoiado por ele – outros 23% poderiam votar em quem ele apoia.
Ou seja, se estes números não mudarem, só Lula (na foto com Dilma) pode arrastar até 50% do eleitorado brasileiro para o candidato que ele apoiar para a Presidência da República. Só para se ter uma ideia do peso político de Lula - Fernando Henrique, que governou antes dele, influencia o voto de apenas 12% do eleitorado.
Este resultado mostra o enorme prestígio de Lula, mesmo estando afastado do poder há quatro anos. Embora não seja candidato, Lula é, disparado, o nome preferido do eleitorado brasileiro, também segundo o Datafolha, para disputar a eleição presidencial deste ano, com 52% de intenções de voto.
Este enorme potencial de influência de Lula fez com que ganhasse força no Brasil o “Volta, Lula” – movimento de políticos e admiradores que querem sua volta já na eleição deste ano. E este apelo volta exatamente na hora em que a presidenta Dilma Rousseff dá sinais de fragilidade na pontapé inicial da campanha eleitoral.
A mesma pesquisa do Datafolha que aferiu a alta popularidade de Lula, também constatou uma perda de seis pontos – de 44% para 38% - na intenção de voto de Dilma. Mas a presidenta continua com chance de ganhar no primeiro turno, com 12 pontos à frente da soma de todos os votos de seus adversários.
Dilma caiu na pesquisa por vários motivos. Há um pessimismo generalizado na população em relação ao rumo da economia. Embora os indicadores economicos do país não sejam tao ruins – o desemprego, por exemplo, é um dos mais baixos na história do país – a mídia pinta um quadro muito negativo.
E há também a crise da Petrobrás.
O resultado disso é que Dilma caiu e, apesar da fragilidade de seus adversários – Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) permaneceram estáveis na pesquisa – há preocupação com a fragilidade da presidenta na eleição. Lula já disse que não é candiato. Mas é como se o PT tivesse um Pelé no banco de reservas.
O fato é que Lula fez um governo muito bem avaliado pela população. No final de sua administração, o então presidente tinha mais de 80% de aprovação como “ótimo e bom”. E é claro que este patrimônio vai pesar em qualquer eleição – seja como candidato ou apoiando alguém, como é o caso agora da Dilma.
Apesar do enorme preconceito e até do ódio que setores da mídia e das classes média e alta do país têm contra Lula, ele terá sempre um peso enorme em qualquer  eleição no Brasil. Em 2010, elegeu Dilma. Em 2012, elegeu o desconhecido Fernando Haddad para a prefeitura de São Paulo.
Por isso, se diz que Lula, quando quer, elege até “postes”.
Mesmo fora do poder, Lula continua tendo um gigantesco prestígio político. E é claro que isso se deve ao governo que fez. Em sua gestão, ele conseguiu o que muita gente considerava impossível – fez o país crescer com distribuição de renda. Mais de 30 milhões de pessoas passaram para a classe média.
E outro número de brasileiros semelhante a este abandnou a miséria absoluta em  que vivia e passou a integrar as classes D e C. E isso só ocorreu graças aos programas sociais de distribuição de renda, como o Bolsa Família. O governo de Lula virou referência tanto no Brasil como no exterior.
E foi por isso que, durante reunião em 2009 de chefes de Estado das 20 maiores economias do planeta, o presidente americano Barack Obama puxou Lula pelo braço, numa roda com outros governantes, e afirmou:”Ele é o cara”. Em seguida, disse que Lula era o presidente “mais popular do mundo”.
Abaixo, links sobre as últimas pesquisas eleitorais que constatam o alto prestígio de Lula e a declaração, inclusive com vídeo, do presidente Barack Obama dizendo “ele é o cara”, referindo-se a Lula – e afirmando que ele era então o presidente “mais popular do mundo”.