domingo, 16 de julho de 2017

Sim, São Miguel do Gostoso chega aos 24 anos com desenvolvimento. Mas ainda falta muito a ser feito



Por Emanuel Neri
O que vocês teriam a dizer para uma jovem senhora que está completando 24 anos nesta segunda-feira, dia 17 de julho de 2017? O que ela precisaria fazer para chegar a uma fase adulta com mais responsabilidade e equilíbrio, capaz de ter uma vida mais independente e produtiva?
Pois esta jovem senhora chama-se São Miguel do Gostoso, município que nasceu no dia 17 de julho de 1993 ao se emancipar do município de Touros. De lá para cá, a cidade cresceu, se desenvolveu, mas ainda precisa avançar muito para atingir uma idade madura de forma mais organizada.
O noBalacobaco convida seus leitores – nativos de São Miguel do Gostoso ou  brasileiros e estrangeiros que escolheram esta cidade para morar -  para fazerem uma reflexão sobre o que precisa ser feito para que esta cidade se transforme no sonho idealizado por todos os seus moradores.
Este blog convida seus leitores a darem aqui suas opiniões sobre a São Miguel do Gostoso que nesta segunda-feira estará completando 24 anos. Escrevam para a seção de “comentários” do noBalacobaco, de preferência publicando seus nomes, façam sugestões e digam o que pensam desta jovem senhora.
Abaixo, o noBalacobaco aponta 10 pontos que ainda precisam ter mais foco da administração. E faz considerações sobre são Miguel do Gostoso em seus 24 anos.
1)Não há dúvidas de que São Miguel do Gostoso cresceu e se desenvolveu em seus 24 anos de existência. Sob a tutela de Touros, éramos uma comunidade sem futuro, um pequeno distrito. A emancipação fez a cidade achar seu caminho, impulsionada pela descoberta do turismo (foto de uma de suas praias) – maior fonte de renda e emprego do município. O turismo é sem dúvidas o diferencial no desenvolvimento local.
2)Os prefeitos que passaram pelo município (João Wilson e Miguel Teixeira, dois mandatos cada, e Fátima Dantas, um mandato) contribuíram para o desenvolvimento de São Miguel do Gostoso. Agora o prefeito Renato de Doquinha dá continuidade a este esforço de permanente transformação.
3)São Miguel do Gostoso chega aos seus 24 anos vendo trabalhadores abrirem buracos nas suas ruas para construírem o serviço de esgotamento sanitário da cidade, uma obra que trará inúmeros benefícios. O projeto foi concluído por  Fátima Dantas e agora está sendo executado na gestão de Renato de Doquinha.
4)Mas ainda há muito por se fazer para que São Miguel do Gostoso se consolide como uma cidade que dê conforto para seus moradores. A questão principal é o nível de disciplinamento e civilização que ainda falta em alguns setores. Isso traria mais benefícios para o turismo e para a vida dos moradores.
5)E um destes sinais de disciplinamento é o trânsito na cidade. O atual prefeito precisa tomar medidas urgentes para disciplinar o tráfego de veículos na avenida dos Arrecifes, principal via local. O transito ali é desorganizado. Os carros estacionam dos dois lados da rua – por isso está sempre congestionada. Outro ponto de congestionamento é a rua da Xepa.
6)Outro foco de atenção é o trânsito de veículos tracionados e de quadriciclos nas praias locais. A administração anterior fechava os acessos de veículos às praias, dificultando o trânsito na orla. O prefeito Renato ainda não tomou esta providência e os carros andam livremente nas praias, danificando flora e fauna (ninhos de tartarugas) e assustando turistas e moradores.
7)A questão do excesso de barulho e de festas em áreas públicas também precisa ser vista com mais cuidado. O limite de 2h da manha precisa ser respeitado. O excesso de barulho é prejudicial especialmente para crianças e idosos. Além disso, tem sido motivo de constantes reclamações de turistas que vêm à cidade para descansar.
8)São Miguel do Gostoso não pode perder eventos trazidos para a cidade em gestões anteriores. O Festival Bossa & Jazz – que traz música de primeira linha e atrai turistas, fortalecendo o turismo local – não vai acontecer este ano. A Mostra de Cinema de Gostoso também corre o risco de não se realizar.
9)A questão da segurança pública precisa ser vista com mais cuidado. Embora ainda seja uma cidade tranquila, ocorrências isoladas preocupam os moradores. O destacamento policial ainda é muito pequeno na cidade e há pontos frágeis de fugas, principalmente para as praias – o bloqueio dos acessos à orla dificultaria isso.
10)Outro ponto ainda muito frágil é a questão de falta de bancos e de caixas eletrônicos em que moradores e turistas possam sacar dinheiro para pagar despesas. O prefeito precisa convencer a rede bancária a criar alternativas para que se possa movimentar dinheiro na cidade. Sem isso, a cidade e o turismo perdem muito.
Há obviamente outras frentes que, na opinião do noBalacobaco, precisam ser enfrentadas para que São Miguel do Gostoso seja uma cidade com ótima qualidade de vida. Mas estas opiniões devem ser dadas, de forma responsável, pelos leitores deste blog.
Este espaço está aberto para todos vocês. Escrevam e manifestem suas opiniões para que esta jovem senhora, que nesta segunda-feira completa 24 anos de idade, seja uma cidade melhor, mais agradável, e com melhor qualidade de vida para seus moradores e turistas.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Sao Miguel do Gostoso ganha neste domingo a Igreja de Santa Luzia, o segundo templo católico da cidade


Por Emanuel Neri
E São Miguel do Gostoso vai ganhar neste domingo (9/7) um novo templo católico. Trata-se da Igreja de Santa Luzia, localizada na rua Serigado, início da Fazenda Ana Maria – ao lado do condomínio Shambala. As 10h do domingo haverá missa no local.
A Igreja de Santa Luzia (foto) foi idealizada e construída por Isabel Neri para ser doada à comunidade católica de São Miguel do Gostoso. O projeto, de autoria da arquiteta Jupiara Neri, ocupa área da fazenda Ana Maria, no trecho em que esta propriedade já está incorporada à malha urbana da cidade.
O dia da inauguração da igreja marcará também o aniversário de Isabel Neri. Ela vai completar 88 anos. Mãe de 15 filhos e mais de 40 netos e bisnetos, Isabel Neri integra uma das famílias pioneiras de São Miguel do Gostoso. É viúva de Nilo Neri, que faleceu há 12 anos. Toda a família estará presente ao evento.
Além de ser um templo religioso, a Igreja de Santa Luzia será uma nova referência arquitetônica para São Miguel do Gostoso. Com mais de 300 m2 de área construída, a igreja é uma obra de arquitetura contemporânea com uso de materiais regionais e ventilação natural. A obra está integrada a um belo projeto paisagístico.
A Igreja de Santa Luzia é um antigo sonho de Isabel Neri, proprietária da Fazenda Ana Maria. Religiosa, dona Bebé – como é mais conhecida em São Miguel do Gostoso – sempre realizou novenas de Santa Luzia, comemorado em  13 de setembro. As novenas deram origem ao sonho de construir a igreja.
O novo templo católico da cidade será integrado à paróquia de São Miguel do Gostoso. Lá serão realizadas missas e outros atos religiosos. Além disso, a nova igreja também pode servir para eventos como casamentos. Já há interesse de casais em fazerem ali seus casamentos.
A Igreja de Santa Luzia também contará com obras de arte. Uma delas, um olho projetado para o lado externo do templo, foi feito pelo artista plástico e escultor Guaracy Gabriel, que tem obras produzidas no Rio Grande do Norte e em outras partes do Brasil. Santa Luzia é considerada a protetora dos olhos.
O novo templo católico de São Miguel do Gostoso estará aberto a visitações públicas. Mas o horário de visitações não foi ainda definido. A missa deste  domingo é aberta para a toda a comunidade local. Durante a missa, músicos e cantores locais executarão hinos religiosos e músicas populares.
Até agora São Miguel do Gostoso contava apenas com um templo católico, que é a Igreja do padroeiro São Miguel, no centro da cidade. Ganha agora sua segunda igreja católica.Já a comunidade evangélica conta com vários templos.  A grande maioria da população local é católica.
Vale a pena conhecer a nova igreja católica de São Miguel do Gostoso. Há várias alternativas para se chegar à igreja. O caminho mais fácil é acessar a rua Ostras e, em seguida, pegar a rua que dá acesso ao condomínio Shambala. Ao chegar ao condomínio, dobrar à esquerda e em seguida à direita.  

segunda-feira, 19 de junho de 2017

São Miguel do Gostoso dá importante passo ao iniciar projeto que vai coletar todo esgoto sanitário da cidade



Por Emanuel Neri
Imagine o que é ter uma cidade inteiramente saneada, com sistema de dutos e tubulação no subsoolo que vai coletar todo o esgoto sanitário de São Miguel do Gostoso.
Pois nesta próxima quinta-feira (dia 22/6), às 16h, o governador Robinson Faria e o prefeito de São Miguel do Gostoso, Renato de Doquinha, vão assinar a ordem de serviço para o início destas obras. O projeto, que deve custar mais de R$ 25 milhões, terá 27 km de tubulações de esgoto em toda a cidade.
O ato que dará início á obra de saneamento básico de São Miguel do Gostoso será realizado diante da Câmara Municipal do Município. A previsão inicial é a de que a obra levará pelo menos 18 meses para ser concluída. A obra vai mexer estruturalmente com a cidade, com intervenções em todas as ruas.
Governo e responsáveis pelo projeto dizem que a obra será iniciada o mais rápido possível, provavelmente no início do segundo semestre deste ano.
Na verdade, a estruturação e elaboração de todo o projeto de esgotamento sanitário de São Miguel do Gostoso (foto acima) foi feito na gestão anterior, cuja prefeita era Fátima Dantas. O prefeito Renato de Doquinha deu continuidade aos procedimentos do projeto, inclusive a finalização do processo licitatório.
A obra de saneamento básico de São Miguel do Gostoso é financiada pelo Banco Mundial e RN Sustentável, projeto do governo do Rio Grande do Norte. A responsabilidade pela obra será da construtora A Gaspar, que vai empregar em torno de 150 trabalhadores, boa parte deles contratados no município.
O saneamento básico vai mudar a cara de São Miguel do Gostoso. Não são todas as cidades do Brasil que são saneadas. Apenas poucas têm este serviço. E uma destas cidades é Natal, cujo saneamento é ponto de honra do atual governador. Saneamento melhora as condições sanitárias de qualquer cidade.
E é fundamental que uma cidade turística como São Miguel do Gostoso tenha seu saneamento básico. Com o esgotamento sanitário, termina o risco de contaminação do lençol freático (águas no subsolo) pelos dejetos humanos. Cidade saneada é referência em termos de cuidados com a saúde pública.
Pontos para o saneamento básico de São Miguel do Gostoso. Depois disso, fica faltando o serviço de abastecimento de água. A administração anterior também elaborou projeto com esta finalidade, mas anda faltaa aprovação pela empresa estatal que cuida do abastecimento de água no Estado, a Caern.
A construtora A Gaspar tem experiência em obras de saneamento básico. Segundo Fabricio Gaspar, diretor da A Gaspar, a empresa constrói atualmente  300 km de saneamento em bairros da região norte de Natal. Fabrício garante que a A Gaspar tem planos para causar poucos transtornos em São Miguel do Gostoso.
“Não vamos deixar valas abertas em ruas. Obras feitas em calçamento ou vias pavimentadas terão 72 horas para serem restauradas”, afirma Fabricio. “Queremos causar os menores transtornos possíveis à população”, diz.
O saneamento básico de São Miguel do Gostoso é uma obra complexa. Terá  cinco estações elevatórias que bombearão a rede de esgoto para tubulações em terrenos mais elevados. Além disso, terá uma lagoa de estabilização em que o esgoto é tratado – fica em uma área de Fazenda Ana Maria, próxima à cidade.
É fato que São Miguel do Gostoso está ganhando uma grande obra, que vai mudar seu futuro.
O saneamento básico vai dotar a cidade de importante estrutura sanitária, capaz de atrair mais projetos para a região, especialmente em setores turísticos. E a qualidade de vida local certamente vai melhorar com esta obra.
No link abaixo, veja post deste blog, publicado em 12 de abril de 2016, anunciando a elaboração do projeto de saneamento básico, pela prefeita Fátima Dantas, para São Miguel do Gostoso.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Festas juninas de São Miguel do Gostoso têm tradição e são animadas. São festas muito populares na cidade



Por Emanuel Neri
Em todo o Nordeste, as festas juninas são os festejos mais populares da região. Em Pernambuco e Bahia, o Carnaval também é muito popular. Mas em outros Estados nordestinos os “arraiais” de São João são muito mais populares do que o Carnaval.
É assim no Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba. Além de populares, as festas juninas são muito organizadas - e animadíssimas.  E em São Miguel do Gostoso as quadrilhas e “arraiás” de São João (Santo Antonio e São Pedro também vem juntos) são festas colidíssimas, de boa música e extremamente populares.
Em São Miguel do Gostoso as festas juninas estão marcadas na cultura do povo.
Durante o mês de junho, muitos arraiais são realizados na cidade. Os festejos começam para valer às vésperas do Dia de Santo Antonio, 12 de junho, e se prolongam até o final do mês. Toda rua que preza em São Miguel do Gostoso tem um bom arraial junino. Nos colégios é a mesma coisa.
Mas vejam isso. Dos mais de 20 “arraiás” que acontecem na cidade, apenas cinco procuraram a Prefeitura este ano para cadastrarem suas festas. E elas passam a fazer parte do calendário turístico de São Miguel do Gostoso. Veja estas cinco festas que estão cadastradas na Prefeitura:
“Arraiá da Prefeitura”, dia 22/6, na praia da Xepa, com concursos de quadrilhas do município e apresentação de quadrilhas de outras cidades. Nos últimos anos, esta festa sempre ocorreu. Mas este ano ela não está ainda confirmada.
“Arraiá Pé de Ferro”, dia 23/6, na avenida dos Arrecifes. Bem tradicional.
“Arraiá Lírio das Estrelas”, dia 24/6, no cruzamento das ruas Lírio do Mar e Estrelas do Mar. Esta é uma das festas juninas mais animadas da cidade (foto acima). Ela  também é conhecida por “arraiá das almas’, por ser realizada bem próxima a um dos cemitérios da cidade.
“Arraiá dos Dourados”, dia 28/6, na avenida dos Dourados. Esta é outra festa que desperta muita expectativa na cidade.
Festa de São Pedro, dia 29/6, na praia do Maceió, diante da Colônia dos Pescadores. Esta festa dura todo o dia. Começa com procissão de São Pedro pela orla de São Miguel do Gostoso. À noite, festa animada com quermesse e muitas barracas de comidas da época. A festa é organizada por pescadores.
Mas há outras festas juninas que não se preocuparam em se cadastrar na Prefeitura. Os colégios Olímpia Teixeira, Ana Ribeiro e Zuza Torres organizam suas quadrilhas – algumas delas também se apresentam em outras cidades.
E uma das festas que geram mais expectativa é a chamada “Quadrilha  Avesso”.
Chama-se “Avesso” porque, nesta quadrilha, os homens se vestem de mulher e as mulheres se vestem de homem. Muito engraçada. Quem “puxa” a quadrilha é Naldivan, artista popular muito conhecido na cidade. Por falta do cadastro na Prefeitura, não se sabe dia nem local desta festa. Uma pena.
Outra festa tradicional é o “Arraiá de Dumont”, na rua das Ostras. Dumont é uma conhecida professora da cidade. Mas Dumont também não se preocupou em informar à Prefeitura sobre o evento que ela organiza.  
Tem mais. Dia 1 de julho, no Condomínio Bouganville, em São José, já no município de Touros, mas muito próximo de São Miguel do Gostoso, tem o “São Pedro da Colméia”, que anteriormente era realizada em Pipa. A festa é organizada pela jornalista Eliana Lima, do Jornal Tribuna do Norte, Natal. Um festão.
O “São Pedro da Colméia” atrai um público grande de Natal.
É muito importante que a Prefeitura cadastre as festas juninas da cidade. Só assim, ela pode liberar espaços públicos para a realização do festejo e pede auxilio à polícia para dar segurança ao evento. É tudo muito mais organizado. Sem isso, alguns “arraiás” obstruem ruas, sem autorização da Prefeitura.
É chegada a hora de as festas juninas de São Miguel do Gostoso serem melhor organizadas. A cidade tem tradição e animação suficientes para que os festejos desta época virem uma atração turística da cidade e entrem no calendário turístico do Rio Grande do Norte. Bom para a cidade e seu turismo.
Um dia, com mais organização, São Miguel do Gostoso chega lá.