domingo, 4 de maio de 2014

Câmara Municipal deve aprovar nesta segunda limite de dois mil metros para parques eólicos em Gostoso



Por Emanuel Neri
E nesta segunda-feira (5/5) deve ser votada, na Câmara Municipal de São Miguel do Gostoso, lei que amplia os limites para que empresas de energia eólica instalem seus parques na área urbana do município. Ao que tudo indica, será aprovado o limite de dois mil metros a partir da linha da praia.
O limite anterior era de mil metros, aprovado na gestão de Miguel Teixeira à frente da Prefeitura local. A prefeita Fátima Dantas propôs a ampliação para dois mil metros. Alguns vereadores chegaram a propor três mil metros – outros falavam em até quatro mil -, mas deve prevalecer o limite proposto pela prefeita.Trata-se de limite razoável e economicamente viável.
Limite maior do que dois mil metros pode inviabilizar os parques eólicos. Muitos dos terrenos arrendados pelas empresas eólicas não dispõem de áreas superiores a três mil metros para, a partir dali, começar a instalação dos parques. Com isso, a lei inviabilizaria a exploração da energia eólica no município.
Pelo menos São Miguel do Gostoso sai na frente de outros municípios e estabelece limites para a implantação destes parques. Muitos municípios não tiveram esta preocupação e os parques foram instalados na beira da praia, sobre dunas, como é o caso de Galinhos. Há muitas reclamações contra isso.
A energia eólica é uma matriz energética limpa, que não causa impactos ambientais. Seu problema é estético. Quando os aerogeradores são instalados próximos a cidades, interfere no visual urbano. Além disso, há quem reclame de ruídos provocados pelo impacto das hélices dos aergoeradores com o vento.
Na última segunda-feira, um dos maiores especialistas em energia eólica, Jean Paul Prates, participou de debate na Câmara Municipal sobre os limites dos parques eólicos. Ex-secretário de Energia do RN, Prates dirige hoje o Centro Estratégico de Energias Renováveis e atende a empresas eólicas.
São Miguel do Gostoso não é contra a implantação dos parques eólicos no município. Mas quer impor limites de dois mil metros para que haja menor impacto no cenário urbano e na vida dos moradores - e também para que não cause prejuízos na expansão do turismo,   principal fonte de renda do município.
Os parques eólicos também ajudam no desenvolvimento do município. Na implantação dos parques, há forte contratação de mão-de-obra. Mas depois, quando os parques começam a funcionar, se reduz muito o número de empregados. Mas as empresas eólicas pagam impostos para as prefeituras.
A energia eólica é uma realidade no Brasil. Futuramente ela terá uma participação significativa na matriz energética brasileira. O Rio Grande do Norte já é o Estado brasileiro que mais produz energia gerada pelos ventos. São Miguel do Gostoso se destaca entre os municípios de maior potencial para energia eólica.
Há empreendimentos imobiliários que já se preocupam com sua própria produção de energia eólica, para abastecer suas necessidades energéticas. Em Fortaleza (veja foto), há prédios com aerogeradores instalados no topo dos edifícios para captar energia que será usada para consumo interno.
Isso é o que se chama  de sustentabilidade ambiental. A tendência é que esta solução   se torne mais acessível e economicamente viável, levando muitos empreendimentos –  residenciais, comerciais e industriais  – a produzirem sua própria energia. E isso pode ser feito tanto com a energia eólica como a solar.

17 comentários:

  1. Na reportagem acima blogueiro cita alguns comentários, enumerei quatro, apenas quatro;

    Limite maior do que dois mil metros pode inviabilizar os parques eólicos: Com certeza inviabiliza o interesse industrial, o interesse dos donos dos parques voce falou a verdade, estou vendo que o interesse daquele que possuem é maior do que os que moram.

    Seu problema é estético: Não só estético, não, vc ja escutou os depoimentos daquelas familias que cederam ou melhor dize deram suas áreas para a implantação daquelas magnitudes torres, vc vai ver que o problema não é só estético.

    Isso é o que se chama de sustentabilidade ambiental: desculpe a minha ignorância, SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL, não tem nada a ver com isso, e por fim me explique que impostos são esses, a não ser que eles já tem o seu imposto reduzido para 3% enquanto os mortais pagam 5%, e diga de passagem Imposto sobr SERVIÇO, depois de implantado a energia é vendida para outros estados menos ficar aqui, e ai sim que o municipio vai trabalhar e perde todo o seu turismo, porque os imposto sobre a comercialização desta energia "sustentável" fica em outros locais MENOS EM SÂO MIGUEL DO GOSTOSO

    Mas as empresas eólicas pagam impostos para as prefeituras. nem quem tá aqui paga, imagine os que são passageiros, o certo, o correto é fazer uma audiência pública, traz o IDEMA, SPU< ONG's, o povo cade a população, enquanto vcs vwereadores são iludidos por um capitalista com certo conhecimento mas deixa pra lá , por favor publique

    ResponderExcluir
  2. Mais algumas questões sobre os parques de energia eólica em São Miguel do Gostoso:
    1)Um dos setores da economia de São Miguel do Gostoso que se beneficiam com as empresas de energia eólica é o comércio local, principalmente supermercados. Compras diversas para manutenção da estrutura destas empresas e, em alguns casos, para alimentação de seus empregados nos parques eólicos, são adquiridas no comércio local. Empregados destas empresas também se abastecem no comércio da cidade.
    2)As pousadas e restaurantes de São Miguel do Gostoso também se beneficiam com as empresas de energia eólica. Muitas das pousadas locais têm acomodações reservadas durante boa parte do ano para empregados destas empresas. Estes empregados também frequentam restaurantes e bares locais. Mesmo eólicas que trabalham em Parazinho e Pedra Grande, municípios vizinhos, também usam a estrutura de pousadas e de restaurantes de São Miguel do Gostoso. Também há muitas casas em São Miguel do Gostoso alugadas para empregados de eólicas. Tudo isso ajuda a economia local.
    3)A população precisa ficar atenta para o parque que vai ser construído na altura da Ponta do Santos Cristo, entre São Miguel do Gostoso e Monte Alegre, em Touros. É que a área em que estes parques serão construídos não estão mais no limite territorial de São Miguel do Gostoso, mas sim no de Touros. Como Touros ainda não se preocupou em fazer leis específicas definindo limites maiores para a construção dos parques, é provável que as empresas eólicas daquela região queiram instalar seus aerogeradores mais próximos da área urbana e da faixa litorânea.
    4)O que fazer neste caso? Cabe à população da região do Santo Cristo pressionar a Câmara Municipal de Touros para que lei semelhante à de São Miguel do Gostoso também seja aprovada lá. Outra alternativa é pressionar as empresas eólicas que vão se instalar naquela região para que siga o mesmo limite imposto a São Miguel do Gostoso. Se nada disso surtir feito, resta a alternativa de procurar o Ministério Público e órgãos ambientais, como Idema e Ibama, para que a população de uma mesma cidade - São Miguel do Gostoso - não sofra com efeitos da inexistência de leis no município de Touros.
    5)Uma informação. Uma das empresas que está se instalando em São Miguel do Gostoso, a Voltália, de origem francesa, também tem terrenos arrendados na região do Santo Cristo, mas já nos limites do município de Touros. Então nada mais justo que a Voltália respeite os mesmos limites de dois mil metros que estão sendo impostos em São Miguel do Gostoso. Afinal, é a mesma população de uma cidade que pode ser prejudicada se estes limites não forem respeitados. Uma dica: em caso de resitência da Voltália, a embaixada da França no Brasil - ou o consulado francês em Natal - pode ser procurado para convencer a empresa a respeitar estes limites.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Emanuel Neri, no seu livro intitulado "Cabeça dos Ventos" està a resposta. Quem conhece a fundo a història da cidade? Quem conhece as regras para criar os projetos que beneficiarao à ela? Quem conhece, um a um os empresarios e pessoas influentes no cenario politico nordestino e nacional?. Quem trouxe a TV Cabugi, retransmissora da Rede Globo, durante a Mostra do Cinema? Quem recebeu o telefonema para hospedar na cidade a sra. Presidente do Brasil? Nem a populaçao de Sao Miguel do Gostoso, nem aquela de Monte Alegre pode substituir a importancia e o conhecimento da familia Teixeira-Neri. Portanto, unam as palavras às açoes eficientes. Contem com a admiraçao do povo de SMG e o agradecimento daqueles de Monte Alegre.

      Excluir
    2. Giovanni Marchesi6 de maio de 2014 08:45

      Sabe de nada inocente!!

      Excluir
  3. A população do Santo Cristo de novo sendo sacrificada!!!!Será que já não bastam as 40 casas populares sendo construídas em terreno impróprio para tal mas estão em franco adiantamento com os caminhões passando carregados perturbando o nosso sono e agora temos que recorrer à Câmara de Touros para tentar evitar mais um ponto contra nós e fora os assaltos que tem ocorrido,que mais falta para acabar com o nosso sossego????Pedimos SOCORRO para o SANTO CRISTO PELO AMOR DE DEUS!!!!


    Anjão desiludido

    ResponderExcluir
  4. Percebam que o comentário acima contém uma forte ponta de preconceito contra casas populares. Qual é o problema de casas populares serem construídos no bairro do Santo Cristo? Se não podem ser construídas no Santo Cristo, qual é a área que o cidadão (ou cidadã) acima acha que podem ser feitas casas populares? Na verdade, por trás de tal comentário o que há mesmo é resistência de certos setores da comunidade de conviverem próximos a pessoas pobres, que habitem casas populares. Se dependerem destas pessoas, os pobres serão cada vez mais segregados, restando para eles morarem serem confinados na periferia da periferia das cidades. Uma lástima que isso ainda ocorra no Brasil e, em particular, em cidades tão pequenas como São Miguel do Gostoso.

    ResponderExcluir
  5. Não moro na Ponta do Santo Cristo mas tenho uma grande dúvida quanto aos limites de Touros e Gostoso. Tenho certeza que o Emanuel nos ajudará a saber definitivamente aonde começa nossa cidade. Na Prefeitura disseram que a cidade começa a partir da Rua dos Dourados. Nos ajude Emanuel, nós moradores não sabemos os limites e em qual Prefeitura pagar os impostos ou reclamar. Tem alguma rua, casa ou até um poste ou placa que seja o ponto limítrofe. Aguardo sua resposta pois confio nas suas fontes. Obrigada
    Marilena Dias

    ResponderExcluir
  6. Limites dentro do território de Touros quem determina é o poder Publico de Touros, se eles permitirem que esses parques sejam construídos próximos a praia, jamais ninguém impedirá que eles sejam feitos, aqui em Gostoso existe pessoas que só procuram dificultar em muitos casos, mil metros de distancia é muito espaço, e querem colocar na cabeça dos vereadores para que seja aprovada dois mil metros, senhores vereadores eu pergunto a vocês um espaço como aquele do Reduto das casas até a praia que até hoje nunca serviu para nada poderia muito bem serem usados para construção desses parques, e vocês que dizem que querem ver o desenvolvimento do nosso Município, peço que olhem com bons olhos e não se deixem levar por uma meia dúzia de certas pessoas que só querem ver acontecer aquilo que eles desejam.

    ResponderExcluir
  7. Então quem mora antes da Dourados mora em Touros? Que estória é essa ? É o que faltava.

    ResponderExcluir
  8. Se antes dessa rua dos dourado é touros porque vai eu pagar iptu para Gostoso. ponta do Santo Cristo paga iptu para Touros? o povo de lá tem que reclamá em touros porque lá não é Gostoso? Tem povo vendendo terreno lá e colocando na escritura que é Gostoso. Alguém vai falá ? Alô Alô Prefeitura !!! Pode respondê ??????????

    ResponderExcluir
  9. Sr. Emanuel Neri, no seu livro intitulado "Cabeça dos Ventos" està a resposta. Quem conhece a fundo a història da cidade? Quem conhece as regras para criar os projetos que beneficiarao à ela? Quem conhece, um a um os empresarios e pessoas influentes no cenario politico nordestino e nacional?. Quem trouxe a TV Cabugi, retransmissora da Rede Globo, durante a Mostra do Cinema? Quem recebeu o telefonema para hospedar na cidade a sra. Presidente do Brasil? Nem a populaçao de Sao Miguel do Gostoso, nem aquela de Monte Alegre pode substituir a importancia e o conhecimento da familia Teixeira-Neri. Portanto, unam as palavras às açoes eficientes. Contem com a admiraçao do povo de SMG e o agradecimento daqueles de Monte Alegre, sejam bem-vindos a um pedaço do Brasil onde a ditadura não morreu!

    ResponderExcluir
  10. so acho,q essa a presidenta da camará de vereadores,nenén de lalá..so faz o q a prefeita, manda..o sr,joaó wilson..os vereadores fraco..sem coragem de trabalhar pra o povo...

    ResponderExcluir
  11. Então as 40 casas populares na Ponta do Santo Cristo é obra da Prefeitura de Touros?

    ResponderExcluir
  12. está aberto o debate!...A Ponta de Santo Cristo então pertence a Touros ?
    E agora,,,, essas casas populares podiam ser construídas ao lado da Pousada dos Ponteiros com vista para o mar que os pobres também merecem mas com um posto policial ao lado pois a violência e o som alto e a droga só vai aumentar na porta das pousadas.Sou nativo e sei que esse terreno não é bom(pode afundar) para a construção de um empreendimento como esses.

    Auriclesio

    ResponderExcluir
  13. Com certeza um dia iremos reverter esse quadro dessa politicagem em nosso Município, se foi aprovado um dia poderá ser desaprovado.

    ResponderExcluir
  14. Não entendo as vezes essas pessoas contra a energia eólica, sabia que o nosso pais, em relação a outros paises, é um pais renovavel em relação a energia.

    o Brasil é um pais cheio de energia renovaveis , onde provem do sol (energia solar), da agua (hidreletrica), do vento(eólica), temos uma porcentagem minima de energia que polui o meio ambiente, ou seja, o pais pensa renovavel, se existe outra maneira porque vocês não procuram, infelizmente nada é perfeito, nem o ser humano, dê graças a Deus que vivemos em um país que ainda pensa renovável, diferente de outros.

    Agora concordo , que , botar eólica em são miguel não dá, a beleza da cidade vai ficar feia como a dos marcos, acaba com a paisagem.

    ResponderExcluir
  15. Foram colocar os pobre la no fundo do fundo do santo Cristo. Quero vê a falta de agua lá e as casas tudo junto uma das outra, vai sê um calor infernal, num tem nem um quintal para plantá ou criar um bicho, mas a elite de Gostoso acha uma maravilha, e agora essa é boa de saber qui ali é Touros. Minha irmã foi comtemplada e eu disse a ela que lhe tiraram de Gostoso e lhe mandaran lá prá Touros. Não tem uma alma viva que sabe dizer onde começa Gostoso. É segredo ? A população num tem direito à saber ? Já virou bagunça

    ResponderExcluir