terça-feira, 2 de abril de 2013

Deputado racista insiste em ficar na Comissão de Direitos Humanos e chama colegas de "satanás"



Por Emanuel Neri
E o deputado e pastor ultraconservador Marco Feliciano (PSC-SP) não dá trégua. Depois das declarações racistas e homofóbicas, que geraram protestos em todo o país, agora o deputado chama os próprios colegas da Câmara de “satanás”.
Em março, Marco Feliciano foi eleito, depois de manobra da cúpula da Câmara dos Deputados, para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Casa. Imaginem um deputado que se assume como racista e homofóbico presidindo uma comissão que tem como objetivo combater preoconceitos. 
Sua eleição gerou protestos de grupos ligados aos direitos humanos em todo o país. Até mesmo igrejas cristãs e evangélicas, reunidas no Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), repudiaram a escolha de Feliciano e pediram sua saída daquela comissão.
A Câmara dos Deputados já recomendou sua substituição, mas o PSC e Feliciano não aceitam. Por causa disso, o deputado raivoso disse que foi “achincalhado” pela Câmara e chamou de “satanás” os parlamentares que integraram antes a comissão.
Por causa das declarações de Feliciano, até uma deputada evangélica do PSC, Antônia Lúcia, do Acre, está ameaçando renunciar ao mandato. Não há um único dia em que ativistas de direitos humanos não protestem na Câmara contra o deputado.
Embora esteja na presidência da comissão há mais de 20 dias, até agora Feliciano não conseguiu realizar uma única sessão devido aos protestos contra ele. Na semana passada, mandou prender um ativista negro e gay que o chamou de racista.
Agora o deputado racista direcionou suas baterias contra o PT e a presidenta Dilma Rousseff. É que, desde que foi eleito para aquela comissão, ele vem tentando uma audiência com a presidenta. Mas Dilma já mandou avisar ao deputado que quer distância dele.
Feliciano foi eleito graças a um descuido do PT, que havia trocado o comando da Comissão de Direitos Humanos por outra. Mas o que pesou mesmo foi a manobra do deputado evangélico Eduardo Cunha, líder do PMDB, para coloca-lo naquele cargo.
Eduardo Cunha substituiu o deputado potiguar Henrique Alves, hoje presidente da Câmara.  Há informações de que Henrique Alves bancou a ousadia de Eduardo  Cunha, mas aparentemente se arrependeu, pois pediu depois seu afastamento.
Mas a eleição de Feliciano só foi possível graças a uma outra manobra, esta ainda mais sórdida, do PMDB e do PSDB. PT, PSB e PSOL haviam retirado seus deputados do plenário da comissão para que não houvesse quórum para a eleição de Feliciano.
Foi aí que pesou a mão peluda do PMDB e PSDB. Estes partidos retiraram seus parlamentares da comissão, substituindo-os por membros do PSC. Com isso, o PSC, um partido nanico, com 15 deputados, ganhou maioria na comissão e elegeu o pastor.
Por trás desta manobra, está uma tentativa de setores conservadores da Câmara – entre eles deputados evangélicos – de barrar conquistas de direitos humanos, especialmente em relação às chamadas minorias, como negros, gays e mulheres.
Feliciano já disse que os negros, originários da África, foram amaldiçoados por Noé (veja acima). Depois, atacou cruelmente os gays e agora sua assessoria diz que filhos de casais gays podem ser vítimas de estupro. Tais declarações geraram protestos em todo o país.
Muitos ativistas gays protestam em locais em que Feliciano está, inclusive igrejas evangélicas, e fazem um “beijaço” coletivo entre eles. Na semana passada, a conhecida atriz Fernanda Montenegro beijou uma outra atriz na boca, em protesto.
O problema é que não é apenas o conservadorismo de Feliciano que está gerando tais protestos. O deputado está sendo processado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por estelionato – recebeu dinheiro para fazer um show e não compareceu.
Também já foi acusado de usar dinheiro da Câmara para pagar pastores de sua igreja, ligada à Assembleia de Deus, sem que eles trabalhem. Agora também é acusado de usar dinheiro da Câmara para editar livros para a sua promoção pessoal.
Veja, nos links abaixo, post anterior do noBalacobaco sobre Feliciano, bem como protestos em todo o país contra ele, inclusive o beijo de Fernanda Montenegro, de 83 anos, em outra atriz, em protesto. Veja ainda outras críticas ao deputado racista.

5 comentários:

  1. VOCÊS DIZ QUE É HOMOFÓBICO POR ELE É PASTOR PORQUE VOCÊ NÃO FALAR DE JENUINO E OUTROS QUE ESTÃO DISPUTANDO A PRESIDÊNCIA DE JUSTIÇA NA CÂMARA TODOS 2 ESTÃO NO ASO MENSALÃO PORQUE VOCÊ TAMBÉM NÃO POSTA ISSO EMANOEL VOCÊ SÓ VER O LADO EVANGÉLICO PARA DE PERSEGUIR OS EVANGÉLICOS EMANOEL NÃO MEXA COM CRENTE O MENOR QUE ELE SEJA PORQUE GRANDE SERÁ SUA CRUZ !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. so sendo crente

      Excluir
    2. nada ver essa desse evangelico

      Excluir
  2. Que vergonha essa pessoa Evangélica praguejando. Você é uma vergonha e mancha o nome de nós Evangélicos.

    ResponderExcluir